No sábado, 16/04, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) esteve presente em mais uma ação de combate ao mosquito Aedes Aegypti, o Faxinaço Zika Zero. Dessa vez, a mobilização foi na comunidade da Rocinha, a maior favela do país, e contou com o apoio da Central Única das Favelas (Cufa). A ANS foi representada pelos especialistas em regulação de saúde suplementar, Adenor Almeida e Alexandre Henrique. Além da Agência, também estiveram presentes o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Eduardo Costa, o rapper MV Bill e o representante da Secretaria de Saúde do Estado, Mário Sérgio Ribeiro.

A comunidade também participou ativamente do evento com apresentações de dança e grafites com o tema Zika Zero. Os próprios moradores, junto com os agentes de saúde, iniciaram as visitas às residências para identificar focos de mosquito e eliminá-los.

Segundo o secretário, o mais importante para combater a epidemia de Zika é a união de esforços: “Temos que nos unir para uma mobilização diária. É uma responsabilidade de todos nós e não pode ter trégua, tem que virar rotina.” O rapper MV Bill também incentivou os presentes a pensarem no papel de cada um na vida em comunidade. Ele também explicou a origem da Zika e como ela pode ter chegado no Brasil.

Esta já é a segunda vez que a ANS participa ativamente dos esforços do Governo Federal previstos no Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes e à Microcefalia, lançado pela presidente Dilma Rousseff em dezembro do ano passado. O último evento aconteceu em fevereiro, na cidade de Belford Roxo.

Veja como foi a primeira ação de combate ao Aedes aegypti.