Um dos pontos de mais insegurança no futuro do negócio da Hapvida, um dos maiores grupos privados de saúde no país, era sua capacidade de continuar adquirindo empresas no setor devido a uma restrição do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Contudo, o Cade deu um sinal pra lá de positivo. Na sexta-feira, 12, a superintendente-geral substituta, Patricia Sakowski, aprovou, sem restrições, a compra da Promed pelo Ultra Som Serviços Médicos, uma subsidiária integral da Hapvida. Bom sinal para os investidores que aguardam pelo anúncio da fusão entre a Hapvida com outra gigante, o Grupo Notre Dame Intermédica.