Estamos divulgando o estudo inédito “Relatório de emprego na cadeia da saúde suplementar” que constata a criação de postos de trabalho na saúde suplementar. O emprego na cadeia produtiva do setor (que financia planos de saúde, rede de atendimento e fornecedores de materiais e medicamentos, entre outros insumos) se mostra mais estável e resiliente à crise econômica brasileira do que o conjunto da economia do País.

Calculamos o estoque de pessoas empregadas no setor e o comparamos ao conjunto da economia brasileira, tendo como base o ano de 2009, e analisamos a evolução do estoque de pessoas empregadas até maio de 2016. Os números são com base no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).