A alta de 17,3% no custos médico-hospitalares, constatada na última edição do índice VCMH/IESS, foi especialmente influenciada pelo aumento dos gastos com terapia, mas também há outros fatores que pesam nessa conta. O avanço da judicialização da saúde e o envelhecimento da população são alguns exemplos de itens que não entram diretamente no calculo do indicador, mas influenciam diretamente os custos do setor.

Com a mudança de perfil demográfico, é natural que certos serviços de saúde passem a ser acessados com mais frequência, como as internações e os tratamentos em decorrência de doenças crônicas. Segundo o Ministério da Saúde, 69,3% dos idosos brasileiros sofrem de pelo menos uma doença crônica e 29,8%, tem duas ou mais doenças crônicas. Na ordem, os cinco diagnósticos mais frequentes são hipertensão, dores na coluna, artrite, depressão e diabetes – saiba mais.

Além disso, o total de beneficiários de planos médico-hospitalares com 59 anos ou mais é o que mais tem crescido. De acordo com a última edição da NAB, 171,9 mil vínculos foram firmados entre as operadoras de planos de saúde e os beneficiários nessa faixa etária  entre abril de 2019 e o mesmo mês do ano anterior. Alta de 2,5%.

Projetamos que as operadoras de planos de saúde devem gastar R$ 383,5 bilhões com assistência de seus beneficiários em 2030 em função da mudança demográfica. O valor, que consta na “Projeção das despesas assistenciais da saúde suplementar”, representa um incremento de 157,3% em relação ao registrado em 2017. A análise considera o estabelecimento de 4,3 milhões de novos vínculos no período e a mudança na composição etária da sociedade brasileira para chegar a este resultado – entenda.

O assunto também já foi abordado o trabalho “Envelhecimento populacional e gastos com saúde: uma análise das transferências intergeracionais e intrageracionais na saúde suplementar brasileira”, de Samara Lauar Santos, 2° colocado na categoria Economia do VII Prêmio IESS.

Continue acompanhando nosso blog para saber mais sobre os outros fatores que levaram à alta registrada na última edição da VCMH.