Na era das transformações constantes, com mudanças no ambiente regulatório, tecnológico e grandes desafios, qual metodologia pode ser utilizada por gestores e colaboradores do sistema de saúde para mitigar riscos e garantir a melhoria contínua nos processos das instituições? Entender as regras do jogo não é mais um diferencial competitivo e, sim, algo imprescindível para a atuação e, sem exageros, para a sobrevivência do setor.

Portanto, preparar os profissionais do mercado para lidar com tudo isso é fundamental. “Eles precisam conhecer e, principalmente, entender e internalizar os conceitos de governança corporativa, compliance e gestão de riscos em suas atividades diárias e de suas instituições, para que estejam preparados para as mais diferentes situações e, com isso, saibam lidar de forma ágil perante a resolução, além de proteger a reputação de suas organizações, principal ativo nos dias de hoje.

Afinal, qual é o papel da governança corporativa em uma instituição de saúde?

Se fosse para definir em um termo o que é governança corporativa, certamente, ele seria “boas práticas”, já que é a base para a criação de normas internas voltadas para minimizar conflitos inerentes a gestão das organizações, em virtude de sua estrutura, legislação e cultura.

De acordo com o IBGC, o cenário de mudanças constantes inerentes ao setor, inclusive, justifica a importância das boas práticas para perenidade das organizações do segmento, independentemente de sua forma (instituições sem fins lucrativos, empresas familiares, cooperativas, sociedades anônimas ou limitadas).

Compliance, eis o xis da questão

Esta é a era das transformações, não é mesmo? Principalmente, em termos de Brasil. Transformações e desafios. E esta pode ser considerada também a era do compliance. No segmento de saúde, responsável por avaliar o ambiente normativo, regulatório e riscos particulares de cada atividade, o compliance ainda tem como função, gerenciar políticas, aplicar treinamentos, atuar com processos e mecanismos de identificação de desvios quando se fala em qualidade e conformidade.

“Prevenir riscos nunca foi tão importante”

“Pode parecer algo comum e que todos já ouviram falar inúmeras vezes, mas prevenir riscos nunca foi tão importante como neste exato momento para o setor de saúde, afinal, ninguém quer que sua instituição apareça no noticiário, nem nas mídias sociais, diante de uma situação de crises, não é mesmo?”, ressalta Carlito Marques, presidente da UCA.

Para evitar manchetes como as do episódio do incêndio na última semana em uma organização do setor, é preciso no mínimo considerar que ela pode acontecer. E isso começa por compreender os riscos inerentes às atividades da sua empresa. “A partir daí será necessário construir uma matriz de riscos com identificação das possíveis problemáticas, tratamento que será dado e mensuração”, explica o executivo.

Sobre o curso “Governança, compliance e gestão de riscos”

O curso será um verdadeiro intensivão de conhecimento aos gestores de planos de assistência médica e odontológica para que possam entender as novas exigências e metodologias, sanar dúvidas e agilizar as operações de sua instituição. Faça sua inscrição, acesse https://bit.ly/33eM4bk

Temas macros

• Melhores práticas de governança;
• Ambiente regulatório;
• Papel e responsabilidades do Conselho de Administração;
• Governança e a gestão;
• Compliance e gestão de riscos;
• Controle em organizações de saúde.

Serviço

De 23 a 25/09/2019
Horário: das 8h30 às 17h30

Carga horária: 24 horas

Local:

Sede da Universidade Corporativa Abramge
Rua Treze de Maio, 1.540 – Bela Vista – São Paulo/SP
Inscrições:https://bit.ly/33eM4bk

Texto de Alexandra Ebert, especialista em comunicação e marketing no segmento da saúde, da Ebert Comunicação

Informações à imprensa:

Gustavo Sierra – 11 3289-7511/ 11 98558-0116/ gustavo.sierra@abramge.com.br
Marcos Gronchi – 11 3289 7511/ marcos.gronchi@abramge.com.br

Sobre a Associação Brasileira de Planos de Saúde – Abramge – A entidade sem fins lucrativos inclui mais de 130 operadoras de planos de saúde associadas. O principal objetivo estabelecido desde a sua fundação, em 8 de agosto de 1966, é representar institucionalmente, junto aos órgãos federais, estaduais e municipais, as empresas privadas de assistência à saúde em atuação no território nacional. O chamado Sistema Abramge engloba ainda o Sindicato Nacional das Empresas de Medicina de Grupo (Sinamge) e o Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo, (Sinog) e a Universidade Corporativa Abramge (UCA).