O grupo cearense Hapvida, maior operador de planos de saúde do Norte e Nordeste do país, anunciou a compra da rede hospitalar Grupo São Francisco por R$ 5 bilhões. Com isso, a companhia assumirá a liderança nacional em número de beneficiários — salvo as operadoras que trabalham exclusivamente com venda de planos odontológicos —  tornando-se uma operadora de abrangência nacional, com posição de liderança principalmente no interior das regiões Sudeste e Centro-Oeste, além da ampliação de sua presença no Sul e sua já consolidada liderança nas regiões Norte e Nordeste.

O grupo São Francisco tem atuação em 12 estados, com presença marcante em São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais. O Grupo é composto pela São Francisco Saúde, São Francisco Odontologia, São Francisco Resgate e, por fim, pela Documenta Clínica Radiológica. São oito hospitais, dezenas de clínicas, unidades de Diagnóstico por imagem, laboratórios e atendimento em odontologia.

A Hapvida, com a aquisição de cerca de 1,8 milhão de vidas do grupo, formará a maior operadora do país, servindo mais de 5,8 milhões de beneficiários, em todas as regiões do país. “O Sistema Hapvida tem sua expertise para crescer fora das regiões Norte e Nordeste. As duas empresas têm culturas semelhantes e faremos um trabalho de regionalização muito forte a partir de agora. Com uma proposta de verticalização inteligente, seremos uma empresa brasileira para atender com eficiência, em todo o país. Esse sempre foi nosso grande sonho e, agora, estaremos juntos com a equipe da São Francisco, que virá a somar com a nossa missão de democratizar a saúde de qualidade, com acolhimento e eficiência em custos”, explica Jorge Pinheiro, presidente do Hapvida.

Segundo Pinheiro, não há sobreposição de usuários com a empresa adquirida nas diversas localidades do Brasil. Por causa disso, há elevadas sinergias entre os negócios e baixo risco de o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) barrar a operação. A expectativa é de que o negócio deve gerar sinergias na casa de R$ 170 milhões ao ano, pelos próximos quatro anos.

Avaliada em R$ 22 bilhões na Bolsa paulista, as ações da Hapvida encerraram ontem com alta de 5,59%, cotadas a R$ 34,58. A operadora começou a negociar ações no mercado financeiro brasileiro em abril do ano passado.

Pinheiro afirmou que a Hapvida está avaliando novas aquisições para expandir suas operações no Brasil. “Temos um pipeline de aquisições e estamos bem confiantes que este ano ainda vamos anunciar mais operações.”