A operadora de plano de saúde Hapvida registrou lucro líquido atribuído aos sócios controladores de R$ 213,6 milhões no primeiro trimestre de 2018, um avanço de 34,3% na comparação com o mesmo período do ano passado.

A receita líquida subiu 22,8% na mesma base de comparação, para R$ 1,09 bilhão. O avanço da receita foi em função do aumento do número de beneficiários e do valor médio dos planos.

No segmento de saúde, o número de beneficiários subiu 8,6% em relação ao primeiro trimestre de 2017, para 2,27 milhões de pessoas, com valor médio de R$ 160,22, um avanço anual de 12,9%. Já nos planos odontológicos, a alta foi de 22,7%, para 1,56 milhão de beneficiários, com valor médio de R$ 11,78, queda de 4,9% na mesma base de comparação.

A sinistralidade atingiu em março deste ano 54,6%, uma queda de 1,8 ponto percentual ante os três primeiros meses do ano passado.

De janeiro a março, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) teve crescimento de 43,1%, para R$ 282,9 milhões. A margem Ebitda passou de 22,3% para 26%.

Já o resultado financeiro finalizou o primeiro trimestre positivo em R$ 21,8 milhões, uma queda de 33,9% ante igual intervalo do ano passado, diante da redução da taxa Selic.

A Hapvida fez sua estreia na B3 no dia 25 de abril, quando levantou R$ 3,5 bilhões em sua oferta inicial de ações (IPO).