Com atenção médica primária, as operadoras de planos de saúde de autogestão poderiam ter economizado cerca de RS 370 milhões em internações hospitalares em 2017. Extrapolando esses dados para todo o setor de convênios médicos, a economia chegaria a cerca de R$ 3,7 bilhões, segundo dados da Unidas (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde).