Seis operadoras de plano de saúde tiveram R$ 274,7 milhões bloqueados pela Justiça, desde o início do ano, como forma de assegurar o pagamento de débitos cobrados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) em razão de multas e outras infrações. O somatório consta em balanço inédito da Advocacia-Geral da União (AGU), que menciona as empresas Unimed/BH, Sul America, Hapvida, Golden Cross, VisionMed e Agemed Saúde.

O levantamento cita R$ 135 milhões de janeiro a junho, mas o Valor apurou que outras ações judiciais posteriores gerou garantia de mais R$ 139 milhões. O montante advém de sanções aplicadas por condutas irregulares, como operações de produto sem registro da ANS, adesão de beneficiários em contratos coletivos ilegais ou exercício de atividade sem autorização.