O empresário José Seripieri Filho, o Júnior, vai deixar de ter participação acionária na Qualicorp (QUAL3), administradora de planos de saúde que ele fundou em 1997.
Segundo comunicado divulgado na terça-feira (1º) à noite pela companhia, as partes firmaram um acordo definindo que Júnior deixará de ter relações societárias com a Qualicorp. Para isso, ele e empresas controladas por ele, direta ou indiretamente, serão obrigados a vender suas participações na empresa, bem como não adquirir novas ações pelo prazo de dez anos.

O acordo prevê ainda a extensão, por mais dois anos, da obrigação de não competição de Júnior com a empresa. A restrição está prevista para vencer em 28 de setembro de 2026.

Em contrapartida a estes acertos, o fundador da Qualicorp foi dispensado da obrigação de manter as ações da companhia como tinha sido definido na primeira versão do contrato de não competição.

O primeiro acordo foi firmado entre Júnior e Qualicorp em 2018. Cercado de polêmica, ele previa o pagamento de R$ 150 milhões ao empresário e determinava que o empresário não poderia vender suas ações e não competir com a companhia pelos próximos seis anos.

O contrato fechado entre o conselho e o principal acionista foi bombardeado por todos os lados, com especialistas questionando o fato de ele receber um prêmio para não ir contra a companhia. No dia seguinte, a Qualicorp perdeu R$ 1,4 bilhão em valor de mercado.

O acerto acabou revisto, com Júnior se comprometendo a reinvestir os R$ 150 milhões na companhia.

QSaúde

As partes também encerraram o procedimento arbitral que discutia o preço de aquisição das ações da QSaúde. O valor foi fixado em R$ 51,1 milhões e ele será pago em 120 parcelas mensais.

Em outubro, Júnior lançou a QSaúde, operadora de planos de saúde individuais, área em que a Qualicorp não atua. Inicialmente voltado para a cidade de São Paulo, o novo serviço oferecerá planos com mensalidades a partir de R$ 246,39.