Após registrarem queda de 10,9% na receita em 2015, os hospitais privados encerraram o ano passado com um desempenho um pouco melhor. Tanto a receita quanto as despesas tiveram desaceleração de 0,8% em 2016, segundo a Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp), entidade que reúne os 86 maiores hospitais particulares do país.

A receita média por internação (indicador usado pela Anahp para medir o desempenho do setor) foi de R$ 20,2 mil no ano passado, o que representa uma redução de 0,8% quando comparada a 2015. As despesas dos hospitais caíram nessa mesma proporção para R$ 17,3 mil.

Porém, quando a comparação é com 2014, a queda no setor é expressiva. Na época, a receita por internação era de R$ 22,8 mil e as despesas somavam R$ 19,5 mil.

Esse desempenho é explicado por uma combinação de fatores, segundo a Anahp. Em 2014, eclodiu a crise econômica, houve uma maior pressão das operadoras de planos de saúde e houve a deflagração da máfia das órteses e próteses, cuja acusação era de compra órteses e próteses superfaturadas e uso desses materiais de forma desnecessária por médicos e hospitais.

“Com a crise, havia um compasso de espera, sem investimentos. Mas, fizemos a lição de casa, redesenhamos as nossas fontes de receita, nos tornamos menos dependentes de medicamentos e fizemos mais cirurgias de alta complexidade”, disse Francisco Balestrin, presidente da Anahp. Em 2014, a receita vinda de órteses e próteses representava 10% do faturamento total dos hospitais. No ano passado, esse percentual caiu para 8,2%.

Já a receita nominal das internações cresceu 10,2% e as despesas avançaram 10,1% nos hospitais ligados à Anahp. Segundo a entidade, nesse mesmo período, as operadoras de planos de saude tiveram alta de 11,7% no faturamento e de 12,82% nos custos que são formados por despesas com hospitais, médicos e laboratórios. Cerca de 93% da receita dos hospitais associados à Anahp vêm de convênios médicos.

Em 2016, a receita bruta dos hospitais ligados à Anahp somou R$ 28,3 bilhões, alta 24,7%. Vale pontuar que a entidade tinha 80 associados no ano passado e em 2015 eram 70. Hoje, são 86 hospitais privados associados.