Com a nova regra de cobrança do ISS (Imposto sobre Serviços), as operadoras de saúde propuseram ao governo a criação de um fundo ou órgão para recolher o tributo.

A medida seria uma solução para o aumento de custos operacionais decorrentes da mudança —o recolhimento passará a ser feito no município onde o serviço é prestado, e não mais na cidade-sede da companhia.

Empresas que operam planos de saúde, leasing, cartões de crédito e outros serviços têm se articulado para encontrar saídas com a Casa Civil, afirma Reinaldo Scheibe, presidente da Abramge, que reúne operadoras de saúde.

O setor chegou a dizer que deixaria de operar em 70% dos municípios do país.

“A ideia é criar uma espécie de fundo federal, que redistribuiria o valor entre as cidades. Outra opção seria fazer a cobrança pelo Estado.”

A Casa Civil diz, em nota, que o tema está em estudo, sem prazo para conclusão.