A área de saúde tem a tradição de valorizar o contato com os pacientes. Nos últimos anos, no entanto, tem se intensificado uma outra crença no setor: sem tecnologia, não será possível manter os custos sob controle nem reduzir as queixas quanto à qualidade no atendimento. A necessidade de combinar essas necessidades tem mexido com as empresas médico-hospitalares.

A SulAmérica, maior seguradora independente do país, acaba de lançar uma nova função em sua plataforma digital, na nuvem, batizada de Gestão Conectada de Saúde. A partir de agora, médicos autorizados pelas empresas — as clientes da seguradora — poderão acompanhar, em tempo real, as informações sobre os procedimentos médico-hospitalares demandados pelos funcionários, como exames, por exemplo. Com isso, ele poderá não apenas desenvolver estratégias para melhorar as condições de saúde do quadro de funcionários, a partir dos dados gerados pelo sistema, como ter controle melhor dos custos na área.

Erika Fuga, diretora de sinistro saúde da SulAmérica, explica que até agora vinha trabalhando com a interface apenas com os prestadores de serviço. “Ficava uma caixa-preta para o cliente (empresa), que só conhecia o sinistro na hora de pagar a fatura para a SulAmérica. Essas empresas pediam para participar desde o início do processo. Passamos cerca de um ano e meio desenvolvendo uma solução para que elas fossem incluídas no processo.”