A SulAmérica está lançando um novo plano de saúde que tenta inovar em três frentes — modelo de remuneração, desenho da rede de atendimento e preço acessível — e deve concorrer diretamente com os produtos das operadoras verticalizadas.

O novo plano — SulAmérica Direto Sampa — começa em R$ 192 e vai cobrir empresas a partir de 30 vidas, entre titulares e dependentes. O atendimento primário será feito nos mais de 40 centros médicos do Dr Consulta e os atendimentos de emergência e internações no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, além de outros 11 hospitais.

A rede de atendimento será remunerada por performance, no modelo conhecido na indústria como ‘capitation’, que alinha os interesses dos prestadores e da operadora durante o tratamento. O plano exige ainda coparticipação, em que o usuário tem que pagar uma parte de cada atendimento. Em alguns casos, reinternações não serão cobradas porque o prestador ficará responsável pelo desfecho clínico, um conceito conhecido na indústria como ‘bundle’.

O novo plano é a mais recente tentativa de uma grande operadora de saúde de controlar custos e aumentar o acesso aos planos num mercado encharcado de desperdício e em que a inflação médica tem transformado os planos em artigo de luxo.

“A coparticipação não é para inibir a utilização, é para você pensar em fazer a utilização da forma correta,” disse a vice-presidente de saúde e odonto da SulAmérica, Raquel Giglio. “Muitas vezes as pessoas nem voltam para pegar exames. Quando a gente conversa com alguns parceiros de laboratórios, eles dizem que um percentual altíssimo de exames sequer é retirado, e não digo fisicamente: são sequer acessados pela internet. Isso é desperdício para toda a cadeia que acaba alimentando a inflação médica.”

O preço do novo plano permitirá à SulAmérica atingir clientes que hoje não conseguem pagar por seu plano mais básico. O tíquete médio do Direto custa 23% menos do que o plano mais barato no segmento de pequenas e médias empresas que a SulAmérica oferece para empresas a partir de 30 vidas.

O novo produto embarca toda a tecnologia já disponível em outros produtos da SulAmérica, incluindo a teletriagem por vídeo para crianças até 12 anos, e o aplicativo SulAmérica Saúde, onde o usuário tem acesso a carteirinha virtual e encontra médicos e clínicas por geolocalização.

No Rio, onde a família de planos Direto foi lançada no final de junho e custa a partir de R$ 132, o atendimento é feito na Rede D’Or.

“Não é porque custa menos que vamos entregar menos serviço,” disse o vice-presidente comercial André Lauzana. “O que está embarcado neste conceito é o uso sustentável da saúde, por isso o cliente tem a coparticipação, temos o corretor entendendo o propósito, e os prestadores engajados na coordenação do cuidado desse cliente.”