Não é novidade que a revolução digital modificou todos os processos conhecidos até então. E engana-se aquele que pensa que os setores impactados são restritos: na verdade, não existem ressalvas quando o assunto é o poder da tecnologia.

Prova disso foi dada pela telemedicina. Definida pela OMS, Organização Mundial da Saúde, como “oferta de serviços ligados aos cuidados com a saúde em casos em que a distância é um fator crítico”, a telemedicina foi ferramenta fundamental para enfrentar o novo Coronavírus.

Cuidado a distância

Diante de uma pandemia que traz o isolamento social como principal forma de conter contaminações, a telemedicina mostra sua força. Assim, o aplicativo GeoLife, HealthTech, aproveitou o momento para expandir os negócios e se solidificar no mercado.

Incubados com apoio do Grupo AngelLira, o GeoLife recebeu aporte de dois milhões de reais para desenvolver uma nova plataforma. “Queremos que os nossos clientes tenham a melhor experiência possível neste ‘novo normal'”, diz Walter Schliemann, Diretor Comercial.

Além disso, são diversas as expectativas com os próximos passos: “estamos muito confiantes com a nova etapa, com a sensação de poder levar a Telemedicina para um novo patamar através de uma ferramenta leve, prontuários digitais 100% seguros, telas administrativas para gerenciamento de todo fluxo e médicos treinados para atender no formato digital. Dessa forma, podemos cuidar das empresas, clínicas, planos de saúde, de uma única pessoa ou de toda a sua família,entre outros tipos de negócios no segmento da saúde”, comenta Walter.

Com objetivo de inovar, o Geolife se compara a um plano de saúde que possui apenas unidades de hospitais virtuais. “Os nossos médicos são próprios e ficam online 24 horas à disposição dos pacientes. Além disso, possuem formação ilibada por renomadas instituições americanas em Telemedicina”, comenta Walter.

Outro ponto é a reciclagem de conhecimento: a equipe médica nunca deixa o conhecimento para depois. Todos são continuamente treinados para que possam manter o mesmo padrão de excelência diariamente, sempre prezando pelo atendimento humanizado dos pacientes, mesmo a distância.

Tradição

Com vasta de experiência na área de tecnologia, o GeoLife se apresenta como um sistema de telemedicina único: bastam alguns cliques e, em poucos segundos, o atendimento já é iniciado. “Seja do sofá de casa ou em uma pausa no trabalho: é possível agendar exames, receber resultados e até mesmo ser avaliado: tudo isso sem necessidade de deslocamentos, despesas com combustível ou perda de tempo”, comenta Walter. Outros diferenciais do GeoLife são a adesão à LGPD desde sua primeira versão e a baixa necessidade de dados para navegação.

“Nesse momento em que a saúde é um ponto extremamente delicado na vida de todos nós, trazer facilidades a pessoas dos mais variados níveis sociais e distâncias geográficas, com um custo extremamente barato e sem limites de consultas ou carência para começar a usar os nossos planos é o que nos motiva”, finaliza o Diretor.

A pandemia impulsionou a prática no País, mas, ainda assim, foi possível concluir que antes disso a telemedicina já começava a mostrar sua importância: na década de 90 já foram realizadas as primeiras consultas no formato.

Entretanto, nada se compara à realidade de hoje: segundo dados disponibilizados pela CNN, em determinados planos de saúde a procura por teleconsultas cresceu mais de quinze vezes. No recorte do SUS, foram mais de 5,7 milhões de pessoas em busca de atendimento on-line.